DESTAQUES


Ataque hacker foi “operação coordenada” para desacreditar TSE

16/11/2020

Ataque hacker sofrido pelo TSE neste domingo (15) foi uma “operação coordenada” para “desacreditar a Justiça Eleitoral”. Esta é a conclusão inicial de uma investigação da SaferNet, que trabalha em parceria com o Ministério Público Federal no monitoramento de fraudes eleitorais cometidas pela internet.

“Trata-se de uma operação coordenada e planejada para ser executada no dia das eleições com o objetivo de desacreditar a Justiça Eleitoral e eventualmente alegar fraude no resultado desfavorável a certos candidatos”, afirma Thiago Tavares, presidente da SaferNet, que vem fazendo o monitoramento desde o fim de outubro.

Perfis bolsonaristas passaram o dia da eleição divulgando mensagens apontando para supostas fraudes eleitorais e falta de credibilidade do TSE.

“Vários grupos políticos já estavam havia dias questionando a segurança dos servidores do TSE e das urnas, como que antevendo o anúncio do suposto hacking”, diz Tavares.

Ele cita uma transmissão ao vivo do cientista político Paulo Moura, reproduzida no perfil do canal conservador “Avança Brasil” Intitulado “Se o STJ foi hackeado, como confiar no TSE”:

“Se a segunda maior instância da Justiça brasileira (STJ) é vulnerável a um ataque hacker dessa magnitude, e natureza, como confiar no TSE e seu sistema de controle da apuração dos votos das eleições brasileiras?”, afirma Moura.

FONTE: REVISTA FÓRUM
FOTO: Antonio Augusto/Ascom/TSE


Mais notícias...

Compartilhar com:

0 Comentários

Deixe o seu comentário!




SINDIUTE nas redes sociais